A tecnologia serve a você ou você serve a ela?

A tecnologia é algo fantástico, veio para facilitar a vida em quase todos os setores. Porém, como tudo na vida, tem um lado não muito glamoroso. E, esse lado, é quando deixamos que ela ao invés de ser uma ferramenta para nos dar suporte, passa a ser imprescindível, nos tornando quase “escravos”. A maior constatação dessa “servidão”, é quando nos isolamos das pessoas, em casa, na rua, trabalho, escola e até mesmo em momentos de lazer.

Os exemplos são infindáveis: entramos no salão de beleza e o silêncio é completo porque ninguém mais conversa, estão todos “plugados” no celular (vi essa cena hoje), ou seja, comunicação interpessoal, zero! Em casa, a cena se repete, pois, ficamos cada um no seu canto somente respondendo aos outros por monossílabos, nas escolas, algumas determinam que os celulares sejam deixados sobre a mesa do professor na tentativa de obter a atenção integral dos alunos, nos restaurantes vejo pessoas fazendo as refeições e, além dos talheres, o celular faz parte do cardápio.

Os celulares, tablets, notebooks, redes sociais, passaram a ser meio de comunicação mais importantes do que o bom e velho diálogo, olhos nos olhos (às vezes atrapalhando àquele toque gostoso, algo de pele) insubstituível em qualquer tipo de relação.

Porém, não pensem que sou contra o progresso e descobertas fabulosas no campo da tecnologia, pesquisas que levaram a cura de muitas doenças, a notícia sendo levada aos quatro cantos do Mundo, a distância encurtada pelas redes sociais (matar saudades das pessoas, no campo profissional aproximar grupos de trabalho), mas creio que como tudo, a moderação, é a melhor escolha.

A tecnologia sim, entretanto, deixá-la quietinha durante algumas horas do nosso dia e, participarmos de uma boa conversa, dar e receber carinho, demonstrarmos que sabemos dar importância as boas coisas da vida, olhar a natureza, àquele por-do-sol fabuloso, um delicioso banho de cachoeira, o mar pleno de azul.

Pensem nisso, porque a vida são dois dias, e cada vez mais devemos vivê-la, agradecendo por esse PRESENTE que DEUS nos deu para cada um de nós!

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.


  • Porque?

    Porque você dessa vez resolveu falar sobre a Tecnologia em questão?

    Resposta: Porque você nota que vossas pessoas estão dependendo muito da tecnologia e não realiza muitas acções, como: esporte.

    Abraço!

    Att,
    Marcos.

    • Marcos, bom dia

      A razão de ter escolhido esse tema, é por vivenciar a cada dia , o “isolamento” das pessoas, dependentes apenas da tecnologia. A tecnologia, é excelente, mas como tudo na vida, deve ser utilizada com bom senso,

      Abraços

  • Parabéns Sonia por mais um artigo de qualidade em seu blog! 🙂 😉 😀

    Abraço e
    Tudo de bom!!!

    Atenciosamente,
    Juan de Souza.

  • Olá, Juan

    Bom que tenha gostado , pois, o tema foi sugerido por você!

    Abraços

  • Gostei muito! Trata-se de uma realidade que vejo TODO dia no Metrô, isto é, vício de ficar no iPhone usando WhatsApp. Tem até um artigo no The New York Times relatando o problema conhecido como “WhatsApptite” que, é o tratamento médico especializado em vícios relacionados à Tecnologia.

    Houve um caso de uma garota no Carnaval estar digitando 6 HORAS sem parar no app WhatsApp em seu iPhone e, depois disso precisou de tratamento, porque até os dedos de sua mão foram afetados.

    Tudo que é bom (relacionado à Tecnologia), sempre será bom com a sua utilização de forma MODERADA. O que as pessoas de hoje (século XXI) confundem é: Moderada com Exagerada (sim!). Eu li outro artigo no seu blog “Otimismo”, que fala também sobre o uso dos smartphones e tablets enquanto a pessoa está falando (conversando) com você, o que chega ser falta de educação com a pessoa em questão.

    Eu me preocupo demais com o futuro da humanidade, que aparentemente parece ser “catastrófico”, mais há tempo de mudar isto. A tecnologia é uma ótima ferramenta, quando bem utilizada.

    Acredito eu que há tempo de mudar, basta as ações do dia-a-dia serem mudadas através de nós. Lembrem: “De maneira coletiva, não há ação se você não começar a colaborar.”

    • Concordo seriamente com você Daniel! É uma grande verdade, que nossa humanidade precisa ler/ver! 😀 !!!

      • Lucas, boa noite

        Bom ver que você também compartilha do meu modo de enxergar a vida, assim como o Daniel. A verdade é que a humanidade precisa se tornar , realmente,
        HUMANA !

        Abraços!

    • Daniel, boa noite

      Creio que você e outras pessoas, compartilham do meu pensamento, tudo que é excesso nos leva a ficarmos perdidos. O caminho é a moderação, o bom senso e, sempre termos em mente que não estamos sós. Portanto, temos que compartilhar com as pessoas, ninguém faz nada sozinho, quando se quer conseguir mudanças para melhorar o MUNDO. Dessa forma, a transformação é possível, desde que comecemos a mudança dentro de nós.
      Abraços

  • Pedro Gouvea Vieira

    gostei! criei minha conta no seu fórum sonia! você está de parabéns!!!!

    • Pedro Gouvea Vieira

      ah, sou eu “pedrinho”, kkkk….

      • Olá, Pedrinho

        Legal saber que você gostou do Fórum e criou sua conta. Olha, estava sentindo sua falta, pois, é um dos meu leitores mais assíduos e do qual gosto muito! E , os trabalhos escolares, como vão?

        Abraços

        • vão muito bem… em breve devo ter mais.. 😉

          • Sonia Maria Custodio

            Olá Pedro (“Pedrinho”).

            Legal saber disso. Continuo torcendo por você.

            Abraços

  • Adorei o artigo!!!
    Foi o melhor que já li fazendo uma crítica construtiva ao uso inadequado ou excessivo de Tecnologia no dia-a-dia das pessoas…

    Continue assim!!!! Já li TODOS os artigos e escutei TODOS podcasts, são tão bons que faria tudo novamente!! 🙂

    • Sonia Maria Custodio

      Augusto, boa noite

      A inspiração para escrever o artigo, veio da minha observação no tocante ao comportamento das pessoas que usam a tecnologia de uma forma obsessiva. Em locais públicos , muitos se comportam como verdadeiros robôs, se tornando até inconvenientes, pois, nos cinemas, teatros e todos os tipos de espetáculos muitas vezes, os atores, se vêem obrigados a parar e pedir aos “alienadinhos”, que desliguem os celulares.
      Grata por gostar do trabalho e, entender o espírito construtivo da crítica.
      Abraços
      🙂 🙂 🙂