Alienação Parental: existe uma solução?

O tema não é dos mais leves, mas necessário. E, por isso, mesmo sabendo de como é difícil de ser enfrentado a minha intenção é tentar, de alguma forma ajudar. A Lei nº 12.318/2010, disciplinou essa “questão”. Porém, creio que nenhuma lei (infelizmente) será capaz de minorar os efeitos nocivos do comportamento de pais e responsáveis, quando estes resolvem usar os próprios filhos como objeto de barganha para conseguir benefícios.

Ou seja, quando o mais bem sucedido financeiramente – tem o seu (a) ex, querendo tirar proveito, usando o filho (a) como “isca” para melhorar aquilo que julgam ser de extrema importância, dinheiro, dinheiro e quando mais não seja roubar do outro, a serenidade ou a chance de ser feliz, em outro relacionamento.

O mais lamentável, nessa história, é o “non sense” do estrago causado a vida dos filhos. Então, de forma atrevida, ousada, mas esperançosa, lanço aos pais, um “desafio”: pensem mais em seus filhos do que em vocês! O maior desafio, (não estou querendo ser, nem sou juiz de ninguém), é se colocar no lugar de seus filhos, sei que não é fácil.

Pensem, eles não pediram para nascer e, se algum dia foram fruto de um amor, ou meramente de um desejo de deixar uma descendência (a família que precisa de um sucessor nos negócios), não será justo causar-lhes sofrimento, direcionando aos mesmos a raiva, frustração, vingança, face ao fracasso de uma relação, que muitas vezes pode ter tido seus dias de amor (“infinito enquanto dure”, já dizia o poeta Vinicius de Moraes), mas como tudo na vida um dia pode acabar.

Os filhos, devem ser preservados, respeitados, protegidos, porque não têm culpa de nada. E não é demais lembrar que existe Ex Tudo, menos Ex Filho. Filho é para sempre, ele é um prolongamento de nós, vendo-os dessa maneira, nosso pensamento deveria ser: “vamos preservar o que temos de melhor, sejamos civilizados e generosos, pois, sem os filhos, como teríamos continuidade? Ficaria um nada, uma sensação de não termos chegado a lugar algum”.

Então, queridos pais, vamos tentar usar a melhor “arma” para vencer as batalhas e ganhar essa “guerra”, o diálogo, aquela boa e antiga “conversa”, bom papo, mesmo que não seja em nome do amor, que seja pela saúde, porque o stress faz mal, no corpo e na alma, envelhece, dá “rugas” e “infarto”.

Além do mais, ver os filhos bem sucedidos, sem traumas, só pode ser motivo de orgulho para qualquer mãe/pai, lava a alma saber que estamos acima de sentimentos mesquinhos, que superamos uma separação e nos tornamos construtores de uma transformação, para melhor, das nossas vidas e a daqueles filhos, que ajudamos a se tornarem verdadeiros cidadãos.

Saiba mais sobre Alienação Parental em: Wikipédia, Fantástico.

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.