Ayrton Senna do Brasil e do Mundo

Pode até parecer estranho que, somente agora, passados quase um mês do aniversário (21 de março), me ocorra a ideia de falar sobre ele. Por que? Porque, mais do nunca nesse momento, em que tanta gente se dedica ao “ofício” de reclamar do País, tipo: está difícil viver aqui, faltam escolas, hospitais, transporte público de qualidade, a mobilidade nos grandes centros virou um caos, a inflação voltou a atazanar o dia-a-dia, nada funciona, etc…

Me vem a mente esse brasileiro que, mesmo em meio as nossas mazelas, amava o seu País e, com muito orgulho, empunhava a nossa bandeira, levando ao Mundo uma mensagem de otimismo de quem sempre acreditou que tudo podia mudar para melhor. E, ao invés de só criticar foi a luta, criando uma Fundação voltada para melhorar a qualidade de vida dos jovens, com ensino de qualidade, apostando no futuro e para o bem de todos e felicidade geral da nação, o trabalho continua pelas mãos de sua irmã Viviane Senna.

Todas as manhãs me colocava à frente da televisão (e, até nas madrugadas), para extasiada, vê-lo pilotar com garra, entusiamo e alegria mesmo quando não era o primeiro, ele levava no rosto o sorriso daqueles que amam o seu trabalho, os verdadeiros vitoriosos e, até mesmo quando naquela fatídica manhã pressentiu que iria nos deixar, não se permitiu desistir, foi um brasileiro corajoso, ídolo querido daqui e de todo o mundo; até hoje, continua a ser reverenciado em vários países (o Japão é um exemplo disso).

Agora, aos mais apressados, digo: não estou alheia aos nossos inúmeros problemas, porque também os vivo e sinto, às vezes, até de forma tão forte que me dá vontade de “jogar a toalha”, mas quando me lembro do Senna paro e penso: devo reclamar menos e agir mais, procurar ajudar fazendo a minha parte, ou seja, dando chances de emprego as pessoas que querem, de fato, trabalhar e dar uma vida mais digna a sua família (contratar pessoas com necessidades especiais, é uma delas), reciclar tudo que seja viável, evitando o desperdício (daí o emprego da tecnologia LSF nas construções da empresa), contribuir com programas de incentivo ao estudo (o Instituo Ayrton já citado), mas acima de tudo, acreditar firmemente que, se todos fizermos a nossa parte esse BRASIL de tantas riquezas naturais, tem tudo para dar certo, só não vale deixar o trabalho pelo caminho.

Ah, antes que me esqueça, as passeatas são um excelente meio de mudar isso que aí está, passeata minha gente, sem vandalismo, que isso não é reivindicar, é tirar a legitimidade da indignação, a que todos temos direito.

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.