Guardar os bons momentos de nossas vidas?

Hoje, em uma daquelas horas em que há a famosa parada para pensar, mesmo em meio a tanto trabalho, me vi as voltas com um grande ponto de interrogação: como guardar os bons momentos de nossas vidas? A primeira vista parece algo fácil, mas não. Se formos autenticamente honestos conosco, chegaremos a conclusão de que, na maioria das vezes guardamos em nosso subconsciente momentos tristes, melancólicos e até àqueles que nos remetem a situações de muita tensão e por que não, de alguma violência sofrida.

Bons Momentos da Vida
Imagem/Reprodução: Pictures by Mom

A explicação, para retermos o pior e não o melhor, está ligada ao ambiente que nos cerca e que vem muito dos acontecimentos noticiados seja por alguém ou pelos meios de comunicação. Senão vejamos: as guerras pelas quais o mundo passou e ainda passa, a violência dos atentados como os que ocorreram recentemente em Paris, o atentado de 11 de setembro, a triste peregrinação dos milhares que fogem da miséria em seus países, como a Síria, para citar apenas alguns. E tudo isso, porque somos bombardeados todos os dias com esse tipo de notícias.

Vamos agora para a melhor parte de nossas vidas, os bons momentos estes sim, valem a pena ser guardados. Neste caso em pouquíssimas situações podemos nos valer da “ajuda externa”, pois, infelizmente, o mundo está acostumado com a “sofrência”, algo que mesmo as músicas e as poesias fazem questão de invocar. As notícias que nos cercam são, na verdade, quase um lamento, uma enxurrada de reclamações.

Porém, parem e pensem: a vida pode ser muito, mas muito melhor se passarmos a “filtrar” o que percebemos ao nosso redor, mas alguns dirão, você está sugerindo que nos tornemos alienados, distantes da realidade? Respondo: NÃO. A minha proposta é que sejam mais seletivos em suas atitudes, mais positivos em atitudes consigo mesmos e com os que fazem parte de suas vidas, seja afetiva (amar é um ótimo elixir contra a tristeza e desânimo), familiar, profissional e social. Em um mundo global podemos polinizar tal qual as abelhas doçura ao invés de amargura, tristeza, lamento, raiva ou mal humor, chatice, nem pensar. Todos temos em nosso cerne, sentimentos ruins e bons, cabe a cada um escolher qual desses sentimentos deve dominar suas vidas.

Guardar os momentos bons da Vida
Imagem/Reprodução: Novak Djokovic Foundation

Bons sentimentos, palavras e pensamentos tenham a certeza, nos levarão a reviver momentos felizes como os que nos fazem sorrir mesmo que as pessoas que nos cercam nos olhem e pensem que estamos meio doidos por estarmos rindo sem uma razão aparente. E quem disse que, um pouco de loucura não faz bem? Se essa loucura for acompanhada de adrenalina, então é uma delícia.

E, uma das “dicas”, para nos reportarmos aquela situação que, de tão maravilhosamente feliz, desejaríamos que o tempo estivesse parado e nada mais importasse, é sentarmos olhando o mar de olhos fechados, fazendo de conta que nada mais existe a nossa volta, ou buscarmos a música que para nós jamais deveria parar de tocar porque, justamente naquele momento, de carinho com a pessoa amada, ela servia para dar ao momento uma sensação de eternidade. E por que não, sentar naquela pracinha rodeados de crianças, ao som de suas brincadeiras mesmo que nos pareçam barulhentas demais. Olha, minha gente, crianças e se estiverem acompanhadas de seus queridos animais de estimação, são tudo o que há de melhor principalmente porque, a infância, é a fase em que quase tudo nos é permitido, inclusive, a inocência.

Momentos da Vida Guardá-los
Imagem/Reprodução: Globetrotting

E podemos adentrar também, pelo caminho da “culinária”, parece estranho, mas não é. Posso lhes dar exemplos: o cheirinho daquele bolo gostoso feito pela vovó, e quem não se aproveitou da ausência dela para “furtar” um pedaço bem quente? A travessura que, confesso costumava fazer! O vinho, acompanhado de um delicioso queijo, lembrando aquela viagem feita muito bem acompanhada, mesmo que jamais tenhamos tornado a estar com a pessoa, mas que nos deixou belas recordações. O pão quentinho no café da manhã, acompanhado de uma farta mesa de outras delícias, lembrando o Café Colonial tão famoso e servido nos hotéis, pousadas e restaurantes em Gramado/RS, típico lugar que lembra um pedaço do paraíso.

Bem, pode não ser tarefa fácil, entretanto, as coisas mais difíceis são as que nos levam a cultivar o que há de melhor em nós pela simples razão de nos deixar com aquela sensação de que podemos e devemos conquistar uma vida melhor, um mundo melhor e de que somos capazes de espalhar mais alegria e menos tristeza e relegarmos as coisas e momentos não tão agradáveis lá aonde devem ficar, esquecidos no passado, trazendo para o aqui e agora o nosso melhor, ou seja, o presente coroado da lembrança de bons momentos e, não é assim que, a vida, se torna o nosso mais importante e melhor presente!

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.