Lei da Ficha Limpa vs. Eleições

A Lei Complementar nº135/2010, mais conhecida como a Lei da Ficha Limpa, é um grande avanço dentro do universo de tantas outras que se mostraram inócuas ao longo dos anos. A pressão popular, foi a grande propulsora desse acontecimento “revolucionário”.

E, foram 1,6 (um milhão e seiscentas mil assinaturas), algo positivo porque demonstra que o povo, está começando a se conscientizar da força que tem: está na CF/88 “todo poder emana do povo, e em seu nome será exercido”, ou seja, o poder é do povo e, para o povo. Entretanto, segundo o IBGE, em 2012 éramos 198,7 milhões e, na projeção feita em tempo real por esse Instituto, estamos chegando a 203.104.416 brasileiros.

Se fizermos uma comparação, entre o número de pessoas que assinaram a petição e, o total da população, chegaremos a algumas conclusões: o número dos que assinaram a petição, poderia ter sido mais significativo, mas já é um belo começo; entretanto, podemos fazer muito mais, se soubermos usar com inteligência, a força que temos.

Considerando que estamos em pleno processo eleitoral, cercados de propaganda política por todos os lados – viramos todos uma ilha – temos a obrigação de prestar muita atenção, ao que ELES nos dizem, e sermos capazes de analisar e concluir, que certas “promessas” são inexequíveis, verdadeiras histórias da “carochinha”, como dizia minha avó.

Cuidado, mas muito cuidado, com os tipos de candidatos, que usam àquela lenga lenga do tipo: “coitado dos pobres, explorados pelo opressores do capitalismo, ser for eleito, vocês terão saúde, educação, segurança, emprego, salário mínimo muito acima do que temos hoje, segurança, transporte público de qualidade e, geração de mais empregos”.

Claro que, todos merecemos e temos direito a tudo que nos estão prometendo, mas promessas só não bastam. O político, com um mínimo de seriedade, tem consciência de que para que haja uma mudança real, são necessários recursos e planejamento para que os tributos arrecadados, sejam bem empregados. Porém, tem que haver acima de tudo, seriedade e honestidade com o dinheiro público.

Ser ficha limpa, para atender ao disposto na lei, de nada adiantará se, os eleitos, de posse de seus mandatos não souberem honrar as promessas de campanha. Tal atitude, seria um engodo, pior do que ter a ficha suja porque seria não só bular a lei, como também a confiança daqueles que os elegeram.

Fiquemos atentos, não às promessas, mas busquemos conhecer a trajetória dos candidatos. Temos a tecnologia a nosso favor, tornando possível descobrirmos quem é quem. O passado dos candidatos, por mais que eles queiram, não poderá ser mascarado, a verdade é fundamental para libertar o eleitor da armadilha de comprar “gato por lebre”.

E, jamais vendam seu voto, pois, amanhã esse tipo de atitude, irá se voltar contra vocês: não se esqueçam o povo unido, jamais será vencido desde que, seja bem informado e não conformado. Aos que têm acesso a fontes confiáveis de informações, uma sugestão: que as repassem aos amigos, vizinhos, colegas de trabalho, se reunam em casa, em seu condomínio, pois, essa é a nossa melhor arma para promover uma “revolução”, no bom sentido, fazendo deste nosso Brasil, não somente o “país do futuro”, mas o Brasil do presente!

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.