Gestão Financeira com consciência

Gestão financeira, que anda tão em voga em nossos dias, pode ser algo tão complexo quanto instigante. Senão vejamos: quando decidimos tomar um rumo seja para uma viagem, um novo negócio ou até mesmo para a renovação de vida, temos antes de tudo planejar, pesar os prós e os contra para que a escolha nos leve ao rumo certo, ou pelo menos ao lugar que almejamos, como a realização de um sonho.

Gestão Financeira Inteligente - Dicas e Experiências
Imagem/Reprodução: Calpers Loan

Porém, muitas vezes, por falta de experiência ou até mesmo por acharmos que optamos pelo melhor e até por deixarmos o EGO falar mais alto, caímos na armadilha de nos sentirmos invencíveis, deixamos a vaidade tomar a frente do bom senso e da humildade e, pronto: o desastre acontece. Posso falar disso, por experiência própria, pois, caí nessa “teia” de erros. Entretanto, o mais importante é fazer a “mea culpa”, como eu acabo de fazer e, corrigir o rumo.

A minha “mea culpa”, me trouxe a ideia de dividir com as pessoas, algumas dicas fundamentais para que não caiam na armadilha perigosa, de ter a visão de que tudo é muito fácil, basta querer fazer para acontecer porque, o sucesso, seja ele em que campo for, é um caminho árduo, acidentado, longo, mas que vale a pena percorrer e, ao final dessa caminhada, o melhor prêmio é conquistar o seu objetivo e mais que tudo ter a plena consciência de que essa conquista tem que ser diária, para sempre.

1 – Não registrar todas as operações efetuadas

A simples falta do registro de qualquer operação pode fazer com que se perca o controle sobre a empresa e, o que é pior, não saber o quanto entrou ou saiu do caixa da mesma, ou seja, o empresário ficará a deriva, como uma nau sem rumo e, via de consequência, perto do desastre eminente, a falência;

2 – Não possuir um sistema de gerenciamento

É ele, que vai funcionar como um norte para a empresa, pois, para seguir adiante, é preciso estar ciente de cada detalhe das operações e processos que devem ser utilizados no seu empreendimento;

3 – Não conhecer o estoque

Primeiro, corre-se o risco de vender aquilo que não se tem ou cair no extremo comprar e estocar aquilo que, de fato, não se precisa ter estocado. Resultado: dinheiro paralisado = prejuízo;

4 – Desconhecimento no tocante aos custos e despesas dos produtos

Bem não é das tarefas mais fáceis, mas é de fundamental importância, ainda mais se levarmos em conta a incidência de tributos sobre cada despesa, bem pesados diga-se de passagem, bem como o do frete, o que vai deixar a sua empresa em grande desvantagem perante a concorrência;

5 – Não fazer o tão apregoado fluxo de caixa

Quanto você tem em caixa? Não sei: aí estará decididamente encrencado. Pense bem se repentinamente um fornecedor entra em contato oferecendo àquela super oferta e o empresário, bem nessa hora, descobre que não tem como aproveitá-la porque …. simplesmente, não há dinheiro em caixa suficiente por absoluta falta de controle;

6 – Deixar de fazer um balanço patrimonial

O patrimônio de uma empresa é a sua garantia de crescimento, reflete o quanto ela se expandiu ao longo dos anos, reflete uma imagem de prosperidade;

7 – Deixar de determinar um valor fixo de pró-labore

O pró-labore deve ser acordado entre os sócios para que sirva como mais um incentivo para que sejam alcançados os objetivos, as realizações que os levem a prosperidade. Afinal, ninguém trabalha e empreende por nada e, no mínimo, a luta, o trabalho tem que valer a pena, senão por que lutar?

8 – Juntar em um mesmo “baú” as despesas pessoais dos sócios com as da empresa

E é um dos mais comuns erros cometidos no meio empresarial, as contas se confundem e, ao final, todos perdem;

9 – Deixar de fazer um demonstrativo de resultados

O monitoramento dos resultados, também é de extrema importância, pois, fornece aos sócios os indicativos da empresa, se ela é de fato lucrativa, ou se é necessário corrigir o seu rumo

Gestão Financeira: Conselhos para Você!
Imagem/Reprodução: IRM Management Network

Saber empreender não é nada fácil, porém é super gratificante não só para o êxito e realização pessoal, como ainda pela alegria de gerar empregos e contribuir para o crescimento de uma sociedade mais rica, com melhor distribuição de bens e com pessoas mais conscientes de que o empreender é também gerar riqueza e um mundo muito melhor.

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.