Honestidade, acima de tudo

Os temas, são sobejamente conhecidos de todos, o primeiro, nos entristece e, o segundo, nos envergonha: a miséria e, a desonestidade. Porém, achar que os dois tem uma relação direta, é uma maneira simples demais de encarar os dois problemas que andam rondando a mente daqueles que têm plena consciência do país em que vivemos.

Princípios da Honestidade
Imagem/Reprodução: Success Yeti

Hoje (19/08/2015), o jornal “O Globo” iniciou uma série de reportagens sob a rubrica “Os miseráveis” contando a história de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza, em extrema miséria. A primeira pessoa citada, é um homem de 69 anos, José Roberto Lima, sobrevive da solidariedade dos vizinhos e, segundo a matéria teve uma vida “dividida entre a roça e a construção civil”, mas o que mais me tocou foi a filosofia de vida desse indivíduo : “Eu vivo com que DEUS me dá. E só. Roubar eu não vou – afirma”. Para ele, a honestidade é inegociável, sua maior riqueza e orgulho. Vejam bem, em momento algum passa pela sua cabeça roubar, furtar/matar – prefere viver na penúria, mas manter a dignidade. E, como explicar que pessoas que nem chegam perto dessa penúria, furtem, roubem e até matem, pretextando “necessidade” e, pior ainda àqueles que desfrutam de uma excelente situação financeira e sem nenhum pudor, roubam, corrompem, trapaceiam sob todas as formas possíveis e imagináveis?

E não é nenhum segredo, que muitas pessoas, vivem com uma minguada renda (se é que se pode chamar de renda), menos que salário mínimo, R$ 182,00 do Bolsa Família e mesmo assim, se mantém honestas e dignas. Seria bem melhor que esse programa do governo federal, ao invés de mantê-los sob o “jugo” da dependência desse benefício, implantasse um sistema de qualificação para essa faixa da população com cursos profissionalizantes e lhes desse a oportunidade de um emprego digno e que tão logo tivessem empregados, a Bolsa Família, fosse repassada a outras famílias e que também fossem qualificadas. Desse modo, poderiam ser diminuídos, de verdade, os bolsões de miséria e seriam implantados os “núcleos de dignidade” e não de “caridade”.

Todo ser humano, merece ser tratado com dignidade, embora hajam os que preferem o dinheiro fácil por meios pouco louváveis e que veem o trabalho e honestidade, como coisas perfeitamente dispensáveis.

Princípios da Honestidade
Imagem/Reprodução: Frases do Bem

Se formos adentrar de forma mais profunda por essa “seara”, temos que citar as mulheres, que não contam com um programa sério de controle da natalidade por parte do governo, e que colocam filhos no mundo sem qualquer condição de criá-los ou dar-lhes a oportunidade de interromper esse ciclo cruel de miséria e sofrimento.

Vejo famílias com cinco e dez filhos, fora da escola, desnutridos e desencantados, por verem ao seu redor um mundo triste e de muita indiferença por parte da maioria da sociedade. E, o que esperar do futuro com pessoas tão divididas e desiludidas? Apesar do mal exemplo de políticos corruptos, de muitos desvios, da violência que assola o país e o mundo – porque seria ingenuidade crer que somente aqui acontecem tais coisas – ainda existem cidadãos que se incomodam com esse estado de coisas e que procuram tomar medidas para minimizar tanto descaso, organizações não governamentais, como por exemplo: o Instituto Ayrton Senna, Exército da Salvação, Médicos Sem Fronteiras e muitos mais.

A honestidade, ah essa “senhora”, tão respeitável e fundamental para o progresso de qualquer sociedade, anda meio esquecida em alguns setores e torço sinceramente, que os que querem um mundo melhor e mais justo, deem o braço a essa “senhora” de forma firme e não se deixem levar pelo discurso daqueles que tentam incutir na mente das pessoas que, ELA só é possível quando não há pobreza e/ou necessidade, pois, acredito que honestidade, mais do que um simples conceito ou qualidade, é um sentimento que trazemos dentro de nós e que somente se perderá se não soubermos cultivá-la, regando-a com muito orgulho e amor.

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.