Parada para Pensar 2.0

Em 2018, época de eleição, escrevi um artigo, tipo “conclamando” os brasileiros a um exame de consciência focando na maneira brasileiro de SER, frente nossas carências e expectativas tanto no pessoal, quanto nas mudanças necessárias para que pudéssemos ter um país melhor e, por consequência, uma vida melhor para cada um, buscando conquistas e, porquê não, a saudável vontade de se tornar um bem sucedido cidadão, tocado pela riqueza.

Porém, nesse momento, a “Parada para Pensar”, é mais do que um dever, é a necessidade de toda à humanidade se quiser sobreviver, e mais que isso, ter a humildade de reconhecer, por mais difícil que seja: não somos donos do mundo.

A Pandemia, se mostra cruel, pois, ataca o que de mais precioso temos, a saúde. E, sem ela, nada somos, nada temos e, nada podemos conquistar.

Bem, repensar atitudes frente à falta de dinheiro seja qual for o motivo, desemprego, empreendimento mal sucedido, crise decorrente de políticas públicas equivocadas, podemos encontrar opções que nos levem a recuperar o dinheiro perdido, por mais dificil que seja a situação.

Entretanto, agora, o mundo está “cercado” por um inimigo invisível e, poderosíssimo, que é um imenso mar revolto capaz de afogar todos nós sem querer nos dar qualquer boia de salvação. E, ai vem a pergunta que teima em não calar: qual a saída, a solução definitiva, urgente.

Bem, infelizmente, solução URGENTE, não existe. E, quem sou eu para ter a ousadia de fazer tal afirmação? Respondo: não sou ninguém, não tenho tal pretensão, mas tal afirmação, vem da ciência. E, acredito firmemente que , os cientistas, irão através da capacidade de seus profissionais, encontrar o remédio para curar e salvar muitas vidas, mas tal cura, demanda tempo, muita pesquisa e creio que , o otimismo e a determinação dos médicos/cientistas farão acontecer o que vejo como um verdadeiro milagre.

Alguns dirão e, a economia, como ficará? Com a atividade econômica paralisada, mundo afora, como prosperar, crescer, sem emprego, será difícil até sobreviver e, não podemos ignorar a imensa massa dos que exercem o chamado trabalho informal, que sequer são micro e/ou pequenos empreendedores.

Claro está que existem várias saídas. Como assim , pensarão os que me lêem, várias saídas? Bom, o problema é tão complexo que, uma única saída, não será suficiente.

Todos unidos, cidadãos mundo afora, dando às mãos de fato, com isenção de ânimo, com muita criatividade, formando uma comunidade focada em dar o seu melhor, ou seja, uma verdadeira lição de desapego.

Podemos começar por pensar que, a primeira medida determinante é para salvar vidas: o isolamento. Porém, sejamos francos, sem dinheiro, impossível viver.

Todos sabemos que no mundo temos muitos milionários, ricos, empresas gigantescas,fundações, mas como criar empregos? Na minha concepção, o maior produtor de riqueza, é o trabalho. E, daí é que vem a maior complicação, porque com o isolamento, as empresas estão paradas, os autônomos, impedidos de trabalhar, as desvalidadas populações das comunidades,de rua e por ai vai…

Quando me atrevi a falar em várias “saídas”, estava sendo irônica. Gente me atrevo a dizer, humildemente, que somente consigo enxergar duas saídas: o isolamento, até a descoberta de um medicamento para a cura da covid-19 e, mais imediata, mas não menos difícil, a tomada de consciência do Ser Humano. Vou buscar me fazer entender melhor. A começar me apropriando daquela máxima popular, “onde come um, comem dois”, ou seja, tomemos a iniciativa de dividir o muito que temos, entre àqueles que nada têm de seu. Pelo menos, agora, esquecer as divergências políticas, congregados em uma única ideia, usar os fundos financeiros dos países mais ricos, para socorrer os mais pobres, vendo esse gesto, não como um favor, mas como a descoberta de que distribuir riqueza é estimular a vontade dos hoje, menos ricos, mais adiante , passarem a ser mais prósperos, pelo exemplo dos que os ajudaram em um momento de tantas dificuldades.

A tomada de consciência, é um caminho pra lá de inteligente, sabem por quê? Conscientes de como somos pequenos em nossa errônea visão de que só temos que cuidar das nossas vidas, veremos que diante de tal sacudida dada pelo todo poderoso vírus, temos que cuidar de nós, mas se não cuidarmos de todos, corremos o risco de nos tornarmos uma ilha, cercada de um nada por todos os lados.

O binômio saúde e dinheiro, não pode ser tratado como algo ruim, pois, um não vive sem o outro.

A saúde, para amar, trabalhar, ajudar, ter energia para compartilhar com as pessoas, o seu melhor.

O dinheiro, para impulsionar o progresso, alimentar às pessoas, criar empresas, quanto mais empresas, mais empregos, ajudar a tornar realidade os sonhos, sem sonhos, a vida fica árida, muito dificil, até porque, sem eles, muito se perde, não se esqueçam que graças à muitos sonhadores, o mundo obteve muitas conquistas, como por exemplo as grandes invenções: o rádio, o avião, as vacinas, pois, graças aos sonhos de cientistas em descobrirem e homens geniais, a humanidade consegue progredir, e ainda se proteger e evitar muito sofrimento.

É assim que me mostra a minha humilde intuição e , um grande sentimento de gratidão pelo Dom da Vida que DEUS me deu: a União de todos decorrente de uma mudança de mentalidade, onde o egoísmo será o grande perdedor e, a solidariedade, a vencedora maior, é a melhor e mais rápida saída dessa situação tão difícil, quanto dolorosa pela qual estamos passando, vendo vidas sendo ceifadas, o isolamento, embora necessário, mas também um fator complicador, tendente a afetar muito, o emocional das pessoas, em especial, daquelas que vivem sozinhas, mesmo que por opção. E, está comprovado, cientificamente, que o emocional abalado, é capaz até de ser um fator complicador, dificultando à cura de muitas doenças por ter o poder de enfraquecer o sistema imunológico, bem como deixar à porta aberta para novas doenças. Lembram daquela máxima:”mens sana in corpore sano” ( mente sadia, corpo sadio).

Portanto, o Supremo Arquiteto do Universo, nos dotou de inteligência suficiente para que sejamos capazes de saber que, ou nos unimos pelo Amor que , se não for pelo outro, seja por nós mesmos, ou estaremos fadados a uma experiência dolorosa da perda de vidas o que poderia ter sido evitado, com a consciência nos cobrando a “conta”, por termos deixado que, o egoísmo, ganhasse essa batalha.

Prefiro acreditar, na inteligência do Ser Humano, capaz de optar pelo melhor caminho: ao invés de escolher a dor, preferir, o amor.

Aproveito para externar a minha profunda gratidão, primeiro, a DEUS e depois, à todos os profissionais da saúde, da imprensa, os bombeiros, policiais, garis, porteiros e, assemelhados, voluntários que saem do seu conforto para dar o seu melhor aos outros, mas me perdoem se estiver. deixando de mencionar alguma categoria.

Sonia Maria

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.