O problema da Depressão


Em agosto do ano passado, descorri sobre o tema “depressão”, tratando o tema sob o  aspecto de um sentimento íntimo, individual, com origem em um acontecimento triste, a perda de um ente querido, de um emprego e, até mesmo de um amor.

Porém, atualmente, vejo a depressão como um sentimento universal, coletivo, com origem em um fato assustador: a Pandemia da COVID 19. Neste caso, tal sentimento é compartilhado por um número imenso de pessoas, que se vêem sem saber o que fazer para se “curar”.

O conseguir ser forte, saber como não cair nessa armadilha, que nos fragiliza, limita nossas ações, nos tira a vontade de seguir adiante e lutar para preservar nossos projetos pessoais e profissionais, reconheço, é difícil.


Entretanto, como no artigo de agosto de 2020, continuo lutando para buscar olhar para o futuro, mesmo quando se trata de algo tão assustador, mas acrescentando mais alguns caminhos, difíceis sim, mas possíveis, mesmo que pareça uma utopia: primeiro acreditar que, as vacinas, poderão diminuir o índice de contaminação e mortes.

E, caminhando na mesma direção: a consciência das pessoas que entendam que fazer a sua parte, é fundamental, seguindo à orientação da ciência, ou seja, o uso de máscaras, evitar aglomerações, pois, deixar para festejar, brincar, é prova de inteligência, de amor a própria vida e das demais pessoas, menos egoísmo, por favor.

Se não podemos nos beijar, abraçar, frequentar cinemas, teatros e festas, podemos ser solidários, meditar, criar lives com temas divertidos, orar (a oração é um instrumento poderoso para nós fortalecer), dar risada faz um bem enorme à alma, ajudar às pessoas carentes, através de grupos comunitários, postar mensagens de incentivo dizendo às pessoas que vamos conseguir superar essa triste situação.


Além disso, de agradecer por estarmos vivos e, quando a tristeza, o desânimo, o medo, quiserem nos “abraçar”, rejeitar esses sentimentos, com a certeza que unidos acreditando na ciência e confiando nos profissionais da área da Saúde, há de chegar o dia, em poderemos dizer: vencemos, porque acreditamos e foi possível vencer a Pandemia, bem como “expulsar” de nossas vidas, uma inimiga terrível, a depressão.

Juntos, conscientes e solidários, somos mais fortes.

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.