Fome…. Como driblar?

Desde há muito tempo, me pergunto: como em um país, considerado o “Celeiro do Mundo”, podem existir pessoas passando fome? É uma triste e incompreensível realidade, que nos é mostrada pela mídia, seja escrita ou através de jornalísticos e redes sociais. Tal realidade, para mim, assemelha-se a um filme de terror.

A insensibilidade das autoridades destrói vidas, em especial, nas regiões mais remotas deste imenso Brasil. E, aí vemos algumas agriculturas exuberantes, aonde temos até três safras, causando admiração nos demais países, realmente, incrível.

Porém, por quê a  falta do alimento em muitas mesas? Alguns fatores, além da má distribuição de renda, desemprego, também contribuiem para essa triste realidade que enfrentamos, tais como: malha rodoviária em péssimas condições (vide a rodovia 319, conhecida como Transamazonica), ferrovias insuficientes, bem como a falta de suporte ao homem do campo.

Como me considero uma pessoa otimista, creio que ainda podemos reverter essa desoladora situação, desde que governo, a sociedade como um todo, abrace a ideia de colaborar, em especial, apoiando a ciência, investindo em tecnologias que se mostrem eficientes no combate à destruição do meio ambiente, que o governo se empenhe na recuperação da malha viária, das ferrovias, a retomada da economia, ensejando a criação de empregos, o investimento na educação (povo com acesso à educação, saberá se blindar melhor, de armadilhas de políticos mal intencionados).

E, o mais importante: a sociedade, tem que se unir, em torno de um dos mais importantes objetivos de uma nação, que é o colocar um ponto final em uma tragédia que em um país, com tantas riquezas naturais, sobretudo no campo, jamais deveria existir: a fome.

Vamos bater um papo? Deixem aqui sugestões de novas matérias. Obrigada!

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.