Por onde anda o amor?

Neste exato momento, creio que mais do que nunca, precisamos encontrar o caminho, para um sentimento primordial que, de tão fundamental, determina a nossa qualidade de vida, em especial, mexe com a nossa saúde: física, mental, emocional e como vemos o nosso lugar na sociedade, no trabalho, nos fragiliza ou fortalece, dependendendo do quanto damos valor a ele.

Sim, estou falando do AMOR. Um sentimento que existe em nossas vidas, mesmo antes de nascermos, pois, na maioria das vezes, nascemos de um ato de amor.

E esse sentimento maravilhoso, tem várias vertentes: amor a si mesmo (o amor próprio) , aos pais, filhos, irmãos, todos os nossos parentes, ao trabalho, ao país em que nascemos e/ou no qual escolhemos para viver, as crianças, que são meus grandes amores, aos colegas, professores, cultivar esse sentimento, ao máximo, pois, mais do que nunca, o amor, pode a única maneira do ser humano, voltar à ser verdadeiramente humano, estender a mão ao próximo, cultivar a paz, dialogar e acolher o outro, porque o que mais temos assistido, infelizmente, são as disputas, os atritos, a falta de diálogo (agressividade desmedida), no mundo dos negócios, na política, onde prevalecem os interesses escusos, a ganância.

O planeta em que vivemos, tem sido uma das principais vítimas da falta de amor. Senão vejamos: a destruição da natureza, a agressão aos animais, o avanço da exploração indiscriminada dos seres mais frágeis,  por exemplo, como os indígenas.

As mudanças climaticas, são fruto dessa destruição provocada pelo homem que não tem amor a própria terra onde vive, a qual é essencial a própria existência.

Meus caros, creio que ainda é tempo de nos reinventarmos, renovar a forma de como vivemos, darmos as mãos, nos unirmos pelo amor, provando que somos capazes de fazermos um exame de consciência, reconhecendo que de todas as formas, ainda temos um caminho para nos recriarmos, provando que somos capazes de sermos verdadeiramente inteligentes, civilizados, pois, creio ser uma das maiores ambições do ser humano inteligente, amar e ser amado, sorrir mais do que chorar, viver intensamente, ao maximo,  trabalhando, estudando, compartilhando o nosso melhor, nos dando as mãos. Ainda há tempo de usar uma maravilhosa receita dos seres inteligentes e nos tornarmos melhores, em um mundo muito, mas muito melhor: façamos amor e não a guerra.

Meu nome é Sonia Maria, sou carioca, com muito orgulho, advogada, empresária. Nas horas vagas adoro ler bons livros, dançar, viajar, namorar. E sou uma pessoa bastante obstinada, sei ser paciente, aliás, a paciência, é fundamental para que não desistamos dos nossos objetivos.